Uso sábio dos meios | Falecimento | Ataque sistemático | Objetivo | ISS sobre repórter | Liuta – #BC

By | August 2, 2017

Boletim Cultural – 01 de agosto de 2017

HÁ MAIS DE 80 ANOS PROMOVENDO A LIBERDADE DE EXPRESSÃO

MIGRAÇÃO PREOCUPA
A revolução digital abalou a hegemonia da televisão, atingindo além dos canais abertos a tevê paga. Nos Estados Unidos essa tendência de migrar dos canais por assinatura (a cabo ou satélite) para serviços transmitidos via on-line já é dominante; a onda agora chegou à Europa, onde só no primeiro trimestre deste ano mais de 700 mil usuários “cortaram os cabos” – expressão para indicar mudança. A atração pelo conteúdo transmitido por operadoras via rede beneficia pioneiros do “streaming” como a Netflix mas favorece também estúdios de cinema- que passaram a trabalhar a nova mídia – e produtores baseados no Vale do Silício americano.

LEGADO DE ALZUGARAY
O argentino-brasileiro Domingo Alzugaray, fundador da Editora Três, deixa um legado na imprensa do país após se dedicar durante cinco décadas à atividade de mídia – primeiro no grupo Abril e depois em seu próprio negócio. Empreendedor persistente, Alzugaray fundou seu principal veículo, a revista Isto É na década de 70 e anos mais tarde, pressionado por compromissos, teve que vendê-la.
Uma década após conseguiu recomprá-la e, superando um período de baixa aceitação, reposicionou a publicação semanal sob o slogan “IstoÉ Independente”. Seu conteúdo (e o de outros veículos da editora), apesar disso, sempre focou o lado positivo das coisas porque “fracasso não vende revista”. Lição que aproveita a muita gente do meio jornalístico.

‘FAKE NEWS’
Em crônica na “Folha”, o colunista Joel Pinheiro da Fonseca critica a tendência de setores da imprensa de explorar um viés que, se não configura notícia falsa, transita perigosamente perto – o que ele chama de um “ecossistema das ‘fakes”. Concretamente Pinheiro cita a “barriga” de uma repórter de rádio, ao noticiar que funcionários do prefeito João Dória em S. Paulo acordavam moradores de rua com jatos de água fria em pleno inverno. Investigado o fato, descobriu-se que a água de lavagem da via apenas molhara a orla de um cobertor de pessoa em situação de rua.

‘FAKE’ (II)
“Esse tipo de jornalismo abandonou a informação para gerar “narrativas”, destruindo reputações” e terceirizando responsabilidades embora não seja parte inocente nisso – protesta o articulista. “Está na hora de reforçar o valor da imparcialidade que, conquanto significando menos cliques no curto prazo, no longo pode relegitimar a imprensa”, hoje capturada por distorções ideológicas de toda natureza – à direita e à esquerda.

QUEIXA DE FHC
A propósito esse é o cerne das amargas queixas que o ex-presidente Fernando Henrique destila contra a imprensa brasileira, no terceiro livro de suas memórias do período de governo. Nos “Diários da Presidência 1999-2000”, FHC lamenta que a mídia – atualmente um componente fundamental do jogo político – não estaria prestando sua contribuição ao fortalecimento da democracia, carregando nos fatos negativos e desconsiderando eventuais aspectos positivos do governo.
Concordando que a imprensa tem que ser independente num país livre, o ex-presidente porém, se queixa que por vezes um enfoque provinciano, ou fundamentalista, leva jornais, revistas e cadeias de tevê e rádio a persistirem na cobertura de fatos que sabem irreais: em seu tempo o falso “dossiê Cayman”, o suposto envolvimento de um assessor em negociata na construção de um prédio público, a batalha dos precatórios, etc.

TORTURA DE TEMER
Situação que também afeta o atual presidente, Michel Temer: apesar de ter ultrapassado a pior fase – que se seguiu à imputação de crimes de “obstrução da justiça” após a coleta ilícita de conversa sua com um empresário de carnes, o governante continua sendo apresentado na grande imprensa como titular de um “governo encurralado”, prestes a ser afastado do cargo por denúncias de um agente de acusação pública, etc.
Como resultado desse bombardeio constante a popularidade do presidente caiu a ponto de ser comparado negativamente com a governante anterior; apesar da abissal diferença de resultados das ações empreendidas por ambos. Tanto que, em pouco mais de um ano, Temer conseguiu reverter a corrida ao desastre que arrastaria o país para um abismo internacional.

REPÓRTER PAGA
Existiu época em que jornalista era isento até do pagamento de passagem de avião. Ainda hoje, ao exibir a credencial, repórter entra de graça em espetáculos, sem dizer que tem passe livre em atos públicos – um requisito da atividade profissional. Mas a partir de agora, em Curitiba, a prestação de serviços jornalísticos estará sujeita ao tributo correspondente, o imposto sobre serviços (ISS). É que a economia atual assenta fortemente em serviços, que compõem até 70% do PIB das cidades.
Por isso o prefeito Rafael Greca, em seu pacote para o saneamento fiscal de Curitiba, propôs à Câmara a tributação das atividades jornalísticas, ao lado de outras dezenas de profissões antes isentas. O sindicato da área reclamou e foi aos vereadores para tentar reverter a imposição, que será da ordem de 4% sobre as receitas obtidas (não está claro se afeta a imunidade das empresas ou apenas dos profissionais terceirizados).

+ LIUTA
Foi sepultada ontem, em Curitiba, a professora e escritora Liuta Pfeiffer Utsch, que durante anos foi a diretora de publicações do Instituto Histórico e Geográfico do Paraná. Culta e atualizada, Liuta supervisionou a adequação das obras e livros da entidade ao novo padrão ortográfico da língua portuguesa e participava, ao lado do esposo – o ensaísta liberal Assis Utsch – das atividades da API e do Centro de Estudos Brasileiros, do Paraná. Sua partida prematura deixa um vácuo intelectual e muita saudade.

AGENDA

CONVITE

Dia: 04 de agosto de 2017, 6ª. Feira
Hora: 10:30h
Endereço: R. Marechal Hermes, 678, sala 22 – Centro Cívico

Pauta:
1. EXPOSIÇÃO:

1.1 “INCOMPLETUDE DAS INSTITUIÇÕES DA REPÚBLICA”
(Faltou à chegada da República um José Bonifácio)
Dr. Laércio Lopes de Araújo, médico psiquiatra pela UFPR, bacharel em Direito, especialista em Magistério Superior

1.2 Preparativos para a Comemoração dos 195 anos da Independência (Projeto “195”)
2. DEBATES
3. CONCLUSÕES
ENCERRAMENTO: 11h45; após, café e confraternização.
Sua presença será de fundamental importância.

SUSTENTABILIDADE DA API
Prezado Associado:
Cf. circular anterior referente à sustentação financeira,
Esperamos contar com sua contribuição para manter os trabalhos de nossa entidade:
– Você pode:
– Fazer um depósito (Banco: SICOOB, Agência: 4368, Conta: 6570-6, favor identificar na hora do depósito);
– Para o associado que solicitar: geramos Boleto Bancário;
– Pagar pessoalmente na Tesouraria da Entidade, c/ Roberto R. Matsukura”.

 

Rafael de Lala, Presidente da Diretoria
Hélio de Freitas Puglieli, Diretor de Assuntos Culturais

Estacionamento conveniado JUST PARK:
R. Marechal Hermes, 890, em frente ao Museu Oscar Niemeyer

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *